segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

5 Segundos


Acho que foram 5 segundos, foram simples 5 segundos... Se contar rapidinho você conta até 7 no máximo. Mas para mim foi uma eternidade. A gente tinha que chegar a cidade de campinas e estávamos quase chegando, mas eu não sei o que aconteceu. Só vi que eu estava no meio desses segundos. Durante estes míseros 5 segundos nunca senti tanto medo em toda minha vida, mentiria se eu falasse o contrario.

Não lembro se gritei quando o carro começou a girar. Só lembro meu braço para fora do carro e eu com consciência do que estava acontecendo. Só sei que eu recolhi meu braço e coloquei entre minhas pernas. Não escutei barulho do som, entre um barulho das coisas quebrando eu escutava o silencio. Não rezei, não daria tempo, mas pedi para aquilo parar e parou. (não sei se de olhos abertos ou fechados)

Quando o carro parou eu olhava para minha mão sem rumo e todo mundo em volta da gente, e ai veio uma pergunta para a Julia de um estranho que me fez voltar a consciência:

- Você consegue mexer os pés?

Ainda bem que a Julia mexia os pés. Estávamos bem! Sem um carro, mas bem!

E às vezes eu me pego debatendo com minha consciência: Depois do acidente eu me tornei uma pessoa melhor? E a resposta é sempre a mesma: - Gostaria de ter me tornado, mas eu acho que não me tornei não.

Mas que eu dei trabalho para o homem lá de cima isso eu dei.

.Amém.

9 comentários:

Natália T. disse...

Deve ser desesperador. Ver a coisa acontecendo e se sentir tão impotente, sem poder fazer nada, sem poder fazer o carro parar de capotar, sem poder voltar alguns minutos no tempo e impedir o acidente.. =T

Mas, olha, eu acho que vocês ''nasceram de novo''. Capotar um carro em plena rodovia e saírem sem nenhum arranhão, só com a mão de Deus mesmo no meio!

Inaie disse...

Você quase foi a grande alegria de todas as mães que falam pros filhos: poe a mao pra dentro, senao o onibus veme leva a sua mão.. nao que eu tenha ouvido essa hotoria acontecer de verdade. Nunca ouvi.

Mas consigo ver as mães sorrindo satisfeitas se alguém dissesse: e aí, perdeu a mão que estava prá fora!

Não falei???

Ainda bem que vc está bem e ainda tem as maos para escrever posts prá nos.

Bruna disse...

No começo a gente promete ser uma pessoa melhor, depois o susto passa e volta tudo ao normal.

Dama de Cinzas disse...

Já passei por esses cinco segundos que parecem uma eternidade e se transformam em algo que parece uma eternidade para passar.

Depois dos cinco segundos eu estava com pé, pernas e costelas quebradas fora os traumatismos e cortes. Um horror que levou quase um ano para eu voltar a andar...

Ainda bem que contigo foi só o desespero do momento. Tem casos bem piores que o meu, os que ficam paralíticos, acho que esse é meu maior medo, muito mais do que de morrer.

Beijocas

Bah disse...

Já passei por isso quando criança. MEu tio que mora no interior e vende flores no Ceasa estava me levando de volta pra cas em SP de caminhão e no meio do caminho um fusca atravessou na frente e entreou debaixo do caminhão, eu lembro de ter estourado o vidro todo em cima de mim e do meu primo. E o cara do Fusca morreu. Nem cheguei a ver o corpo, mas meu tio tinha dado a entender isso. É traumatizante.

Kisu!

Ju disse...

Eu não me pergunto se sou uma pessoa melhor, mas sempre me pergunto o que fiz de errado. Agradeço eternamente por não ter acontecido nada com você, não me perdoaria nunca se te fizesse algum mal.

Te amo! :)

Fulana disse...

gente, que horror! isso foi agora?? to impactada!
seeeempre com o bracinho pra fora da janela (eu)...

Suzi disse...

Cinco segundos que duraram toda a sua precoce vida. Não rola um filme neste momento?

Espero que esteja bem

Beijos

Elvira disse...

Que medo!
Nesses momentos, alguns segundos parecem uma eternidade.
Ainda bem que vocês estão bem.

Abs.
Elvira