terça-feira, 29 de maio de 2012

Cartas ditadas

Teve uma época que minha mãe me obrigava a escrever carta para minha prima de campinas, provavelmente ela queria que eu melhorasse a redação, acho que escrevi uma ou duas no máximo. Mas lembro de mim na ponta da mesa dizendo que não sabia o que escrever e ela ditando o que escrever... Tipo:

- Ja falou de sua vó? Da sua escola? Do seu pai? Do...


O engraçado disso tudo que eu não sabia o que escrever... realmente não sabia. Mas em contra partida eu escrevia motivado por um primo um capítulo sobre um detetive chamado Sexta-Feira e seu ajudante Domingo.


Pena que eu perdi o manuscrito!

8 comentários:

Kinha disse...

A vida tem dessas coisas, rs

Alice disse...

Podia ter mandado os contos do detetive pra sua prima, se fosse eu acharia muito mais divertido !

Karine disse...

Ah, e eu fiquei curiosa em saber mais de Sexta-feira!

Keila disse...

Antes dos e-mails sempre me comunicava por cartas com parentes, amigos e amores... o gostoso era receber do carteiro a resposta dessas pessoas e imaginar através das palavras escritas o mundo em que elas estavam. bjs

Bah disse...

Auhauaha, talvez fosse melhor escrever num caderno de caligrafia rss..

Kisu!

Noemyr Gonçalves* disse...

Até hoje troco cartas. Gosto da sensação gostosa de receber e enviar uma carta!
Acho legal guardar cartas, lembranças.
Eu sou nostálgica por natureza hahaha
Beijos :*

Michele Pupo disse...

Eu adoro cartas! Ainda hoje, recebo e escrevo muitas. :)

Um abraço

Natália disse...

Poxa, a ideia do Sexta-Feira e do Domingo foi bacana! Desenvolve ela agora, vai?!