terça-feira, 29 de maio de 2012

Cartas ditadas

Teve uma época que minha mãe me obrigava a escrever carta para minha prima de campinas, provavelmente ela queria que eu melhorasse a redação, acho que escrevi uma ou duas no máximo. Mas lembro de mim na ponta da mesa dizendo que não sabia o que escrever e ela ditando o que escrever... Tipo:

- Ja falou de sua vó? Da sua escola? Do seu pai? Do...


O engraçado disso tudo que eu não sabia o que escrever... realmente não sabia. Mas em contra partida eu escrevia motivado por um primo um capítulo sobre um detetive chamado Sexta-Feira e seu ajudante Domingo.


Pena que eu perdi o manuscrito!

8 comentários:

Anônimo disse...

A vida tem dessas coisas, rs

Alice disse...

Podia ter mandado os contos do detetive pra sua prima, se fosse eu acharia muito mais divertido !

Karine disse...

Ah, e eu fiquei curiosa em saber mais de Sexta-feira!

Keila disse...

Antes dos e-mails sempre me comunicava por cartas com parentes, amigos e amores... o gostoso era receber do carteiro a resposta dessas pessoas e imaginar através das palavras escritas o mundo em que elas estavam. bjs

Bah disse...

Auhauaha, talvez fosse melhor escrever num caderno de caligrafia rss..

Kisu!

Anônimo disse...

Até hoje troco cartas. Gosto da sensação gostosa de receber e enviar uma carta!
Acho legal guardar cartas, lembranças.
Eu sou nostálgica por natureza hahaha
Beijos :*

Michele Pupo disse...

Eu adoro cartas! Ainda hoje, recebo e escrevo muitas. :)

Um abraço

Natália disse...

Poxa, a ideia do Sexta-Feira e do Domingo foi bacana! Desenvolve ela agora, vai?!