quinta-feira, 17 de abril de 2014

Serviço Militar Obrigatório

Quando eu tinha idade para servir o exercito e estava na idade de prestar vestibular e de começar minha vida profissional uma incógnita apareceu na minha vida: O Serviço obrigatório Militar

Acho que posso dividir em três etapas:

O alistamento: Que eu fui (meu pai me levou) e cheguei 05h00min da manha e sai às 09h00min. O que eu me lembro disso foi de um carinha que quando o soldado ia fazendo a chamada das pessoas ele fazia uma piadinha com o nome delas até que o nome dele foi chamado e o nome dele era Escort (Igual ao carro). Foi embora escutando todo tipo de piadinhas automobilísticas.

A apresentação: A gente era colocado em uma fila aleatória e um homem ia falando assim essa fila ta liberada, essa fila não, essa fila liberada, essa fila não. Estava na não liberada que tinha que fazer o exame médico. Lá a  gente tinha que ficar de cueca e em fila para ser examinado pelo medico. Teve até um menino que falou: “Mas eu to sem cueca”. Não teve jeito entre risadas e protestos dos que estavam na frente dele ele ficou na fila pelado. Depois a gente entoru em outra fila (já vestidos) e eu fui dispensado.

A retirada do certificado de reserva: Eu tinha que ter ido e não fui até hoje. Nunca precisei deste documento e espero nunca precisar.

Ah e teve a quarta etapa: Quando eu cheguei e falei para minha avó que tinha sido dispensado minha avó vai e fala em tom de que só as avós sabem fazer: “Graças a Deus Cristiano, eu tinha até uma promessa para fazer. Vai até igreja tal (do outro lado do bairro) e deposita esse dinheiro no pé da imagem”. Eu fui, pagar a promessa que minha vó fez para mim. Vai que o homem lá em cima deu uma força para eu não servir.

Estranho que vi muita gente chorando que não pegou querendo pegar e tinha gente que não queria de jeito nenhum puta da vida que tinha continuado no processo. Imagina se fossemos igual a Israel onde todo o jovem (independente do sexo) de 18 anos é obrigado a pegar o exercito. Hoje vejo muita teoria de empreendedorismo em Israel creditando essa característica com um ponto positivo, será?

8 comentários:

Bruna disse...

Meu marido serviu, adorou, e queria ter continuado, mas só ficou os dois anos mesmo.

Carla Antoni | Um Doce Dia disse...

Acho que esse lance de ser obrigatório não está com nada, claro que não dá para realmente saber se gostamos de alguma coisa ou não antes de fazê-la, mas tem gente que nasceu pra ser bruto, forte, e tem gente que nasceu delicado, nerd. Meus irmãos foram liberados logo de cara, mas nenhum queria pegar.

(Que bonitinha sua avó, mas um pouco exagerada...rs).

:**

Camila Faria disse...

Acho que deveriam priorizar as pessoas que realmente querem servir e só depois ir preenchendo as demais vagas. Não faz o menor sentido terem pessoas querendo do lado de fora e pessoas odiando do lado de dentro!

Rapha Barreto disse...

Sou a favor do serviço militar não ser obrigado, como você disse, tem gente que quer ir, mas não passa e vice-versa. Eu sou uma garota que gistaria de ir para o exército, mas não para ficar no "nhenhem" das mulheres, mas sim para ter o trabalho duro de um homem - flexões, corridas, tiros e tudo o que tem direito. Claro que para isso todo o páis deveria ser reeducado com uma dose de patriotismo e um governo bom. Mas acho que estou viajando um pouco demais, ou quem sabe isso um dia possa se tornar real.

Beijos e ótimo feriadão.

http://mylife-rapha.blogspot.com

Miguel Alexandre Pereira disse...

Safaste-te de boa! Aqui em Portugal o serviço não é obrigatório. Não fazes ideia do suspiro que dei ahahaha XD

http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

Mari Mari disse...

O alistamento: Nossa, como um Escort tem coragem de zoar os nomes das pessoas?

A apresentação: Vai pro alistamento no exército sem cueca? Exibicionista, só pode ser.

A retirada do certificado: Minha mãe só foi pegar o diploma do mestrado (do mestrado!) 10 anos depois, então acho que essas coisas são normais.

Avós são sensa quando querem. Mais sabem ser insuportáveis também. De qualquer forma, morro de saudades da minha avó que se foi. :)

Cara, acho que se o alistamento é obrigatório, tem que ser pra todo mundo. Se não é obrigatório, não tem que ser pra ninguém. Enfim, discurso anti-sexista a parte, me diverti com o post, Cristiano. Bjão

Sandra disse...

Na Suíça o serviço militar é obrigatório para todos os rapazes quando eles completam 21 anos de idade. Depois disso o cidadão tem que fazer, até mais ou menos os 35 anos de idade, cursos de Treinamento/Atualização (isso porque se ocorrer uma guerra no país, todos estarão preparados para a defesa). Esses cursos duram entre 3 e 4 semanas e durante esse tempo, a empresa na qual o "soldado" trabalha na vida civil não pode demití-lo. O salário durante esse período, é restituído pelo Exército ao empregador. Eu acho que se aprende coisas bem úteis no exército, como ter disciplina, respeitar horários e regras e etc...
hahahah, tem coisas que só uma avó faz pela gente!

Bah disse...

Meu irmão, coitado, ficou um ano de molho sem saber se ia prestar ou não. Eles queriam pq queriam ele servindo (por causa da altura e tals), mas ele conseguiu se livrar por causa da faculdade.

Mas teve que jurar a bandeira um ano inteiro.

Kisu!